Home PageMapa do SiteImprimire-learningIntranet
Versão para impressão

“O medo que nunca desaparece”: sobreviver numa prisão síria

O ativista pacífico Hussam (nome fictício para proteção de identidade) conseguiu sobreviver aos 20 meses que esteve preso e em que foi torturado em Saydnaya, uma das mais brutais e infames prisões sírias. Atualmente a cumprir pena noutro local, escreveu esta carta onde tenta mostrar o “inferno diário” pelo qual passou.

Saiba Mais
 
Versão para impressão

Proibição do burkini em cidades de França pode abrir caminho a abusos de mulheres e raparigas

 

Um fracasso em anular a recente proibição do burkini em França será uma oportunidade perdida para pôr fim ao ataque à liberdade de expressão e religiosa das mulheres, assim como ao direito a não discriminação, avalia a Amnistia Internacional no momento em que o Tribunal Administrativo de mais elevada instância no país está a analisar uma contestação à proibição adotada em muitas cidades francesas.

Saiba Mais
 
Versão para impressão

Tolerância zero para os países que se evadem às obrigações internacionais no comércio de armas

Todos os países têm de garantir que o Tratado sobre o Comércio de Armas Convencionais cumpre em absoluto a promessa de salvar vidas e proteger os direitos humanos dos efeitos devastadores do comércio internacional de armamento, dando passos concretos e transparentes para a sua concretização plena e verdadeiramente eficaz, alerta a Amnistia Internacional, com o arranque da grande Conferência de Estados-parte do TCA, esta segunda-feira, 22 de agosto, em Genebra.

Saiba Mais
 
Versão para impressão

Legado dos JO do Rio de Janeiro arruinado com mortes às mãos da polícia e repressão de manifestações

 

O legado de segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foi arruinado com as mais recentes oito mortes resultantes de operações policiais durante o grande evento e uma intensa repressão de manifestações pacíficas, avalia a Amnistia Internacional.

Saiba Mais
 
Versão para impressão

Fecho do centro australiano de refugiados em Manus é só um primeiro passo para pôr fim ao pesadelo

A decisão do Governo australiano em finalmente encerrar o centro de refugiados que opera na ilha de Manus, na Papuásia-Nova Guiné, onde foram documentados graves abusos, é positiva, avalia a Amnistia Internacional, reiterando que todos quantos se encontram detidos naquele local devem ser transferidos prontamente para território da Austrália.

Saiba Mais
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 149
  • STOP TorturaSTOP Tortura
  • A tortura não é justificável em nenhuma circunstância. É ilegal, bárbara e desumana. 
    Saiba mais | Veja Video

  • O Meu Corpo, os Meus DireitosO Meu Corpo, os Meus Direitos
  • Os direitos sexuais e reprodutivos são direitos humanos universais.
    Saiba mais

 
 
 
 

 Torne-se ActivistaApoie as nossas causas Junte-se a nósFaça um Donativo